Filho de provedor da justiça apela que pai ponha fim à violência

"Peço-te como filho e em nome da Venezuela que faças o que deve ser feito", disse o jovem

O filho do provedor da justiça venezuelano publicou esta quarta-feira um vídeo nas redes sociais em que pede que o pai, Tarek William Saab, ponha "fim à injustiça".Saab é um antigo governador que ocupa uma oposição de topo no partido socialista de Nicolás Maduro.

A mensagem de Yibram Saab Fornino, estudante de direito de 22 anos, tornou-se viral nas redes sociais e mereceu uma resposta de Nicolás Maduro Guerra, filho do presidente da Venezuela.

"Condeno a brutal repressão por parte dos corpos de segurança da nação, da qual fui vítima", disse Yibram. No vídeo, o jovem refere o nome de Juan Pablo Pernalete, o estudante de economia de 20 anos que morreu esta quarta durante uma manifestação contra o presidente Maduro. "Poderia ter sido eu", continua.

Sei que não é fácil, mas é o correto

"Por último, dirigo-me diretamente ao meu papá: Papá, neste momento tens o poder de pôr fim à injustiça que se afundou o país. Peço-te como filho e em nome da Venezuela, que tu serves, que reflitas e faças o que deve ser feito", disse Yibra.

"Percebo-te, sei que não é fácil, mas é o correto", afirma o jovem.

Tarek Saab não respondeu publicamente ao filho e limitou-se a lamentar no Twitter pela morte de Juan Pablo Pernalete.

Quem respondeu a Yibram, também pelas redes sociais foi Nicolás Maduro Guerra, filho do presidente da Venezuela.

"Os teus 3 minutos de fama poderiam ter sido usados para outra coisa. Creio que poderia ter pegado no telefone e conversado com o teu papá, expressar-lhe com amor as tuas inquietudes e escutar-lhe", escreveu o filho do presidente.

Os teus 3 minutos de fama poderiam ter sido usados para outra coisa

Neste comunicado, Maduro Guerra diz escrever como "filho de um constituinte e deputado" tal como Yibram, e recorda o tempo em que os dois brincavam juntos e participavam em marchas de apoio a Hugo Chávez.

"Convido-te a refletires já que somos criados por grandes seres humanos. É o tempo da melhor geração que passou pela Venezuela", continuou Maduro Guerra, de 26 anos.

"Os que marcharam ao teu lado estão a usar o amor do teu pai para manipular o país. A tua pressão sobre um homem livre como Tarek William Saab é o desejo de desunião familiar dos que querem destruir a pátria", escreveu o filho do presidente. "São os mesmos que celebram a tua carta ao teu pai como um troféu de guerra, como um troféu para nos desunir".

Os que marcharam ao teu lado estão a usar o amor do teu pai para manipular o país

"Quando vir o teu pai, vou fazer-lhe chegar a mensagem que recebi de outros amigos na nossa infância: amamos-te a ti e a ele e apoiaremos sempre a luta pelos direitos humanos e pela manutenção histórica do estado de direito consagrado na constituição da República Bolivariana da Venezuela", escreveu Maduro Guerra.

"Um grande abraço saudação à tua mamã", diz o filho do presidente a Yibram no fim da carta.

Pelo menos 28 pessoas morreram desde 4 de abril em protestos a favor e contra o Governo de Nicolás Maduro. De acordo com as autoridades venezuelanas, 1.289 pessoas foram detidas desde esse dia e 65 continuam detidas.

A oposição venezuela exige a convocação de eleições gerais, a libertação dos presos políticos e o fim da repressão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG