Ativista das Femen simula enforcamento numa ponte de Paris

Ativista protestava contra a visita do presidente iraniano à capital francesa, onde Rouhani se encontra para negociar a compra de aviões

Uma ativista do movimento Femen, que luta pelos direitos das mulheres, "enforcou-se" ontem na histórica Passerelle Debily, uma ponte pedonal sobre o rio Sena, como forma de protesto contra a visita do presidente iraniano, Hassan Rouhani.

A mulher, com a bandeira do Irão pintada no peito nu, simulou o enforcamento na histórica ponte sob um cartaz onde se lia: "Bem-vindo Rouhani, carrasco da liberdade."

"Organizámos esta exibição pública para (re)lembrar que neste país [Irão], todos os anos, mais de 800 pessoas são condenadas à morte", explicou Sarah Constantin, a porta-voz das Femen em França.

A ativista criticou ainda a atitude do presidente francês, François Hollande, que acusa de apenas se preocupar com negócios: "Ele recebe-o no palácio do Eliseu para tomar chá, assinar contratos e vender alguns aviões".

Depois de ter feito uma visita de 3 dias a Itália, marcada pela polémica das estátuas de nus cobertas dos Museus Capitolinos, em Roma, Rouhani encontra-se agora em Paris para "reanimar" os laços comerciais com a França e negociar a compra de mais de 100 aviões à Airbus.

Depois da assinatura em 2015 de um acordo sobre o nuclear iraniano, já este mês ONU e União Europeia levantaram as sanções contra o Irão, garantindo que Teerão está a implementar o acordo que o pretende impedir de desenvolver a bomba atómica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG