FBI vai partilhar dados sobre interferências eleitorais com estados norte-americanos

A medida do FBI vai informar em simultâneo os municípios e os responsáveis pelo processo eleitoral em cada estado afetado por ataques cibernéticos.

A polícia federal norte-americana (FBI, na sigla inglesa) vai partilhar informações sobre interferências informáticas durante as eleições presidenciais, em novembro, com os estados que forem alvos desses ataques, anunciaram na quinta-feira as autoridades federais.

De acordo com a agência Associated Press, a decisão é uma alteração da política do FBI, que até agora informava os municípios e os estados afetados pelas interferências nos sistemas eleitorais, mas não partilhava quaisquer dados sobre os ataques cibernéticos.

O modo de atuação anterior das autoridades federais colocava em causa a autenticidade das eleições, uma vez que vários executivos locais e estados poderiam validar os resultados do sufrágio sem estarem cientes de que os mesmos estariam comprometidos.

A nova política do FBI vai permitir informar em simultâneo os municípios e os responsáveis pelo processo eleitoral em cada estado (cargo que costuma ser desempenhado pelo secretário de cada estado).

A notificação deverá ser feita pessoalmente.

As alterações às políticas de partilha de dados do FBI foram equacionadas com o propósito de melhorar a cooperação entre as autoridades locais e federais norte-americanas, uma vez que há receio de interferência da Rússia ou de outra nação nas eleições presidenciais.

Em comunicado conjunto, os secretários dos estados do Ohio, Colorado e Virgínia Ocidental referiram que a medida é "um passo na direção certa ao nível da segurança".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG