FBI diz que hackers da China tentam roubar dados sobre vacina da covid-19

O FBI e a agência de cibersegurança norte-americana emitiram um alerta dirigido aos investigadores científicos. Dizem que a China está a apoiar o roubo de dados relacionados com tratamentos e vacinas da covid-19 e pedem toda a atenção.

As autoridades dos Estados Unidos lançaram um alerta aos investigadores científicos e de saúde esta quarta-feira sobre o perigo de hackers apoiados pela China que estarão a tentar roubar pesquisas e outros dados relacionados com tratamentos e vacinas para a covid-19.

Organizações que investigam a doença foram alertadas de que podem ser "possíveis alvos" e sobre "o comprometimento de redes pela República Popular da China," lê-se num comunicado do FBI e da Agência de CiberSegurança e de Infraestrutura dos EUA.

"Os esforços da China para atingir esses setores representam uma ameaça significativa à nossa resposta à covid-19," dizem as autoridades norte-americanas.

No comunicado, FBI e a agência de cibersegurança (CISA) dizem que "este anúncio visa consciencializar as instituições de investigação e o público americano e fornecer recursos e orientações para aqueles que possam ser atingidos".

"O FBI solicita que as organizações que suspeitem de atividades suspeitas entrem em contacto com a diretoria local do FBI. A CISA está a solicitar que todas as organizações que apoiam a resposta à covid-19 façam parceria com a agência para ajudar a proteger nestes esforços de resposta", informa ainda a nota conjunta das duas instituições de segurança dos EUA.

É mais um episódio da "guerra" entre Estados Unidos e China nesta pandemia. Donald Trump e o secretário de Estado Mike Pompeo têm acusado Pequim de falta de transparência na informação disponibilizada sobre a origem do vírus. Lançaram mesmo a suspeita sobre o laboratório de Wuhan, como potencial local de origem do novo coronavírus. A China tem sempre negado e reagido de forma dura. Diz que são difamações que em nada contribuem para ultrapassar a crise sanitária causada pela covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG