Família de homem morto por ajudante de xerife vai receber 4 dólares de indemnização

Júri considerou que Gregory Hill foi responsável pela própria morte

Gregory Vaughn Hill Jr., casado e pai de três filhos, tinha 30 anos quando foi baleado à porta da sua garagem por um ajudante de xerife dos EUA, na sequência de uma queixa por ruído. O caso chegou à barra de tribunal e a família pedia que fosse considerado homicídio por negligência, mas o júri decidiu que as autoridades não utilizaram força excessiva e que o homem foi responsável pela própria morte, uma vez que estava alcoolizado.

A indemnização à família foi fixada em quatro dólares.

O incidente aconteceu em 2014, na Florida. Gregory Hill foi encontrado armado, mas a arma estava descarregada. Ainda assim, o juiz solicitou ao júri que deliberasse se os direitos constitucionais de Hill tinham sido violados e, em caso afirmativo, se a sua família deveria receber uma indemnização.

O veredicto demorou horas e o júri deliberou que a mãe de Gregory Hill recebesse um dólar, pelos custos do funeral, e cada um dos seus três filhos recebesse igualmente um dólar.

"É de partir o coração", reagiu a noiva de Hill, Monique Davis, citada pelo New York Times. O advogado da família considerou que atribuir essa quantia irrisória como indemnização foi a parte "dolorosa" de todo o processo.

A quantia foi estabelecida tendo em conta que o júri atribuiu a Hill 99% da responsabilidade da sua própria morte, o que significa que o departamento do xerife só é obrigado a pagar um por cento dos danos.

Foi criada uma página de angariação de fundos para ajudar a família, que já conseguiu arrecadar mais de 7000 dólares, conta a BBC.

A Defesa anunciou que vai apresentar uma moção para exigir um novo julgamento e que se a moção for recusada irá recorrer da decisão do tribunal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG