Família de El Chapo cria linha de roupas com o nome do narcotraficante

Joaquín Guzmán assinou os contratos na cadeia e o objetivo é dar um futuro à sua mulher Emma Coronel e às duas filhas. O traficante enfrenta uma condenação que pode ir até à prisão perpétua.

A família do narcotraficante mexicano Joaquín Guzmán, conhecido como El Chapo, pretende criar uma linha de roupas com o nome e a assinatura daquele que as autoridades norte-americanas consideram ser um dos mais poderosos barões da droga do mundo, que se encontra numa prisão federal de Manhattan, em Nova Iorque, enfrentando uma possível condenação de prisão perpétua depois de ser considerado culpado de dez crimes.

No próximo verão poderão estar mesmo à venda em lojas dos Estados Unidos e México peças de vestuário de marca El Chapo. Isto porque a empresa LLC assinou um contrato com Joaquín Guzmán, quando este já se encontrava detido, no qual ele cede os direitos do seu nome e assinatura. A representá-lo neste negócio estará a sua mulher Emma Coronel e os seus advogados, uma vez que Guzmán enfrenta neste momento um julgamento num tribunal de Brooklyn, por causa do negócio das drogas, do qual é acusado de vários assassinatos.

A empresa já foi oficialmente batizada de El Chapo Guzmán, cabendo à LLC lançar no mercado essa linha de vestuário, de acordo com declarações de Mariel Colón Miro, advogado do narcotraficante que também o representa no julgamento que decorre no tribunal federal de Brooklyn.

"Estou muito entusiasmada com este projeto, que foi baseado em ideias e conceitos que eu e o meu marido tivemos há uns anos", disse Emma Coronel, de 29 anos, em declarações à CNN. "É um projeto dedicado às nossas filhas", acrescentou a mulher de El Chapo, com quem tem duas filhas gémeas de sete anos de idade.

De acordo com Michael Lambert, advogado que também trabalha com El Chapo, garantiu que o traficante não irá ganhar dinheiro com este negócio. "Ele queria montar uma empresa legítima para o benefício de sua esposa e das duas filhas", disse, deixando mais uma garantia: "Ele ama a esposa e as filhas e quer prepará-las para o futuro."

Joaquín Guzmán estava a cumprir uma ordem judicial que o obrigava a comunicar com os seus advogados apenas sobre o caso que está a ser julgado, razão pela qual teve de obter uma autorização especial para assinar este contrato, em meados de fevereiro, para a cedência dos seus direitos de propriedade intelectual em relação ao seu nome, a favor da empresa LLC.

O júri do tribunal de Brooklyn considerou El Chapo culpado de dez crimes e em junho irá conhecer a sentença que poderá chegar à prisão perpétua. Entretanto, os seus advogados procuram conseguir a repetição do julgamento, alegando má conduta dos jurados, que terão tido acesso a notícias que saíram na imprensa.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG