Explosão no Iémen mata 14 crianças e fere outras 16

Causa da explosão, que aconteceu junto de duas escolas, não é conhecida.

Pelo menos 14 crianças morreram e 16 outras ficaram feridas, a maioria com menos de 9 anos, numa explosão que ocorreu no domingo em Sana, no Iémen, anunciou esta terça-feira a Unicef.

Num balanço anterior, a coordenadora humanitária da ONU para o Iémen, Lise Grande, havia anunciado a morte de 11 civis, incluindo cinco estudantes.

Num comunicado, a Unicef destacou que, entre as crianças feridas, algumas estão em estado "crítico" e que o número de mortos pode aumentar.

"O incidente ocorreu perto de duas escolas", referiu a nota, sem esclarecer a causa da explosão.

Os rebeldes Huthis, que controlam a capital iemenita, disseram que os civis foram vítimas de um ataque aéreo da coligação liderada pela Arábia Saudita, mas nenhuma fonte independente corroborou a acusação.

A coligação controlada pela Arábia Saudita negou o bombardeamento da capital iemenita no domingo.

O Iémen foi atingido por uma guerra devastadora entre o Governo, apoiado em particular pela Arábia Saudita, e os rebeldes Huthis, apoiados pelo Irão.

A coligação liderada pela Arábia Saudita interveio militarmente no Iémen em 2015 para ajudar o Governo a deter o progresso dos rebeldes que capturaram grandes áreas do país, incluindo a capital Sana.

O conflito, que segundo a ONU causou o pior desastre humanitário no mundo atualmente, levou milhões de iemenitas à beira da fome e deixou desde 2015 cerca de 10 mil mortos, a maioria civis, segundo uma avaliação parcial da Organização Mundial da Saúde (OMS).

As organizações não-governamentais estimam que o número de mortes é significativamente maior, sendo que algumas citam um número cinco vezes maior em relação ao da OMS.

Exclusivos