Executivo da Volkswagen detido nos EUA pela manipulação de emissões

Detidp é Oliver Schmidt, responsável pela conformidade das regulações da empresa entre 2014 e março de 2015

Um alto executivo da Volkswagen foi detido pelas autoridades norte-americanas no âmbito do escândalo de manipulação de emissões poluentes, avança hoje o jornal The New York Times.

O diário, que cita duas fontes, identificou o detido como Oliver Schmidt, responsável pela conformidade das regulações da empresa entre 2014 e março de 2015.

Schmidt é o primeiro detido pelo caso que afetou cerca de 600 mil automóveis nos Estados Unidos.

A Volkswagen admitiu que os seus motores a diesel de dois e três litros tinham sido manipulados para ocultar as verdadeiras emissões de óxido de azoto, um produto considerado cancerígeno pelas autoridades de saúde.

A empresa alemã chegou a um acordo para indemnizar nos Estados Unidos dois proprietários dos quase 500 mil veículos com motores a diesel de dois litros vendidos no país, bem como as autoridades norte-americanas.

Segundo o acordo, a Volkswagen será obrigada a desembolsar cerca de 15.000 milhões de dólares.

A empresa também está perto de chegar a um acordo para compensar cerca de 85 mil proprietários de veículos com motores a diesel de três litros que existem nos Estados Unidos.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.