Ex-padre octogenário detido nos EUA por mentir sobre pedófilos

Um ex-padre de 81 anos foi detido dizer ao FBI que não conhecia uma família que o acusava de pedofilia.

Um ex-padre de 81 anos foi detido esta quinta-feira por ter ter dito ao FBI que não conhecia uma família que o acusava de pedofilia nos anos 90, revelou o procurador federal de Filadélfia (nordeste dos Estados Unidos).

Robert Brennan foi acusado em setembro de 2013 de agressões sexuais a um menor, presumivelmente cometidas entre 1993 e 2004, quando exercia numa paróquia de Filadélfia, segundo um comunicado do procurador.

Mas a acusação foi retirada no mês seguinte após a morte, por overdose, da alegada vítima.

O ex-padre foi depois processado civilmente pela família do jovem, ação que terminou em 2018 com um acordo que ficou em segredo, como acontece frequentemente com os casos de pedofilia na Igreja.

A mentira ao FBI, pela qual foi detido esta quinta-feira em Perryville, no Estado de Maryland, data de abril de 2019. Interrogado pela polícia de investigação federal, Brennan disse que não conhecia nem a alegada vítima nem a sua família até ser acusado, em 2013

O comunicado do procurador não diz como os serviços determinaram que Brennan terá mentido, mas os procuradores da Pensilvânia têm realizado uma vasta investigação sobre os crimes de pedofilia no Estado, que revelou abusos sexuais perpetrados por mais de 300 padres contra pelo menos mil crianças, segundo um relatório divulgado em agosto de 2018.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG