Ex-advogado de Trump admite ter pagado para falsificar sondagens

Michael Cohen disse que pagou a uma empresa para manipular os dados de sondagens online para benefício de Trump. Advogado criou também uma conta no Twitter para se promover como sex symbol.


O Wall Street Journal informou que Cohen pagou à empresa de dados RedFinch Solutions para manipular duas sondagens a favor de Trump antes da campanha presidencial de 2016. No entanto, a empresa não cumpriu o proposto.

"Quanto ao artigo sobre fraudes nas sondagens, o que fiz foi para e em benefício exclusivo de Donald Trump. Eu lamento realmente a minha lealdade cega a um homem que não a merece", escreveu Cohen no Twitter.

Cohen pediu a Donald Trump 50 mil dólares para pagar à RedFinch Solutions. O advogado alegou que Trump o tinha instruído a cometer as violações de financiamento de campanha, o que Trump negou.

Durante a campanha eleitoral, Trump referiu-se com frequência aos números das sondagens para ajudar a dar corpo à sua candidatura.

Cohen foi condenado no mês passado a três anos de prisão pelo seu papel em fazer pagamentos ilegais para pagar o silêncio de duas mulheres (Stormy Daniels e Karen McDougal) que mantiveram relações com Trump e por mentir ao Congresso sobre o projeto da construção de uma Trump Tower em Moscovo.

Segundo o Wall Street Journal, Cohen encarregou John Gauger, da empresa de tecnologia RedFinch Solutions, de criar uma rotina de computador para votar repetidamente em Trump numa sondagem online do Drudge Report de fevereiro de 2015 sobre potenciais candidatos republicanos. Trump ficou em quinto lugar na pesquisa Drudge Report, com cerca de 24 mil votos, ou 5% do total.

Gauger fez o mesmo para um inquérito online da CNBC de 2014, o qual elaborou uma lista dos principais líderes empresariais do país. Porém Trump não figurou entre os cem melhores.

John Gauger é diretor de sistemas de informações na Liberty University, instituição dirigida pelo evangelista Jerry Falwell Jr.

A relação de Cohen com Trump foi de grande proximidade durante anos, mas a investigação do procurador especial Robert Mueller afastou-os. Trump chamou Cohen de "ratazana" em resultado da cooperação de Cohen com a equipa de Mueller.

O novo advogado de Trumo, Rudolph Giuliani, foi quem responde ao caso. "O presidente não tem conhecimento de as sondagens terem sido manipuladas", reagiu o advogado do Trump, Rudy Giuliani, à Reuters.

Conta sex symbol

A notícia do Wall Street Journal traz uma curiosidade. Durante a campanha presidencial, Cohen pediu a Gauger para criar uma conta no Twitter para os seus admiradores.

"Mulheres que amam e apoiam Michael Cohen. Forte, pit bull, sex symbol, sério, vocacionado para os negócios e pronto para fazer a diferença!", lê-se na conta, que está ativa mas sem novas mensagens desde o final de 2016.

Esta conta de promoção de Cohen põe em causa a afirmação de que o advogado tudo fez em "lealdade cega" a Trump.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG