EUA e Turquia acordam cessar-fogo de cinco dias

Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, anunciou cessação temporária das hostilidades a fim de permitir a retirada dos grupos curdos para lá da chamada zona segura, ou seja, a 32 Km da fronteira com a Turquia. Ancara fala em acordo mas não em cessar-fogo

Os EUA e a Turquia acordaram esta quinta-feira um cessar-fogo de 120 horas - cinco dias - para o nordeste da Síria, anunciou o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, após um encontro com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan. Por causa deste acordo, referiu o N.º 2 da Administração norte-americana, os EUA concordaram não impor sanções.

O cessar-fogo, avançam as agências noticiosas internacionais, pretende permitir aos grupos curdos retirarem para uma zona segura, a 32 Km da fronteira com Turquia, que será administrada pelos turcos.

"Os turcos disseram que vão parar a sua Operação Fonte de Paz para permitir a retirada das forças das YPG [Unidades de Proteção Popular] para a zona segura durante 120 horas. Todas as operações militares da Operação Fonte de Paz serão suspensas e a Operação Fonte de Paz ficará completa com a retirada", disse Pence, citado pela Reuters.

"Com a implementação [do cessar-fogo], os EUA não vão impor mais sanções à Turquia. O presidente decidiu retirar as sanções económicas" uma vez que a operação esteja terminada, acrescentou Pence, falando na embaixada dos EUA em Ancara, capital da Turquia.

Reagindo ao anúncio daquele cessar-fogo de 120 horas, na sua conta de Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, escreveu: "Notícias formidáveis chegam da Turquia. Conferência de imprensa do vice-presidente e do secretário de Estado Pompeo. Obrigada Erdogan. Milhões de vidas serão salvas. Este é um grande dia para a civilização. Estou orgulhoso por os EUA seguirem um caminho que, apesar de pouco convencional, é necessário. Há anos que muita gente tentava conseguir este ACORDO!. Milhões de vidas serão salvas. Parabéns a TODOS!"

Na véspera, a Fox News revelou uma carta enviada pelo presidente dos EUA ao presidente da Turquia, ameaçando: "Caro Sr. Presidente: Vamos trabalhar para um bom acordo! Você não quer ser responsável por matar milhares de pessoas e eu não quero ser responsável por destruir a economia turca - e fá-lo-ei".

Contactadas pela BBC, fontes da presidência turca revelaram o resultado desta carta: "O presidente Erdogan recebeu a carta [de 9 de outubro], rejeitou-a em absoluto e colocou-a no lixo."

O ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu, citado pelo correspondente da Economist na Turquia, Piotr Zalewski, declarou, por seu lado, que não se trata de um cessar-fogo, como diz Pence, mas de um acordo. "Vamos suspender a Operação Fonte de Paz durante 120 horas para a retirada do PKK/YPG. Mas isso não é um cessar-fogo".

A mesma fonte refere que o futuro da zona segura depende agora da reunião da próxima terça-feira entre Erdogan e o presidente russo, Vladimir Putin, na Rússia.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.