EUA travam caravana de migrantes na fronteira com o México

A Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA declarou que os serviços fronteiriços não seriam capazes de aceitar, por enquanto, mais pedidos de asilo

A caravana com centenas de migrantes da América central, proveniente do México, foi impedida de entrar nos Estados Unidos depois da fronteira de San Diego "ter atingido a capacidade máxima", anunciaram as autoridades.

Momentos antes da chegada dos migrantes, no domingo, a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA declarou que os serviços fronteiriços não seriam capazes de aceitar, por enquanto, mais pedidos de asilo.

"Neste momento, atingimos a capacidade no posto de entrada da San Ysidro (...) "Estes migrantes deverão esperar no México, enquanto os funcionários trabalham para processar os pedidos de todos aqueles que já estão dentro de nossas instalações", disse o comissário Kevin McAleenan, em comunicado.

Apesar do anúncio, cerca de 50 pessoas conseguiram atravessar uma ponte e aproximaram-se da instalação portuária.

Uma caravana com centenas de migrantes da América central, proveniente do México, chegou no domingo à fronteira com os Estados Unidos com a intenção de pedir asilo no país.

É uma tentativa deliberada de enfraquecer as nossas leis e sobrecarregar o nosso sistema" com processos judiciais relacionados com migração, afirmou o Procurador-Geral, Jeff Sessions

De acordo com a Associated Press, a caravana que segue em cinco antigos autocarros escolares, nos quais viajaram centenas de pessoas, algumas delas crianças, partiu da cidade mexicana de Tapachula a 25 de março e chegou hoje a Tijuana, na fronteira com a cidade norte-americana de San Diego.

A administração norte-americana tem estado a acompanhar a viagem dos migrantes, que irão pedir asilo, por considerar que é uma ameaça para os Estados Unidos.

"É uma tentativa deliberada de enfraquecer as nossas leis e sobrecarregar o nosso sistema" com processos judiciais relacionados com migração, afirmou o Procurador-Geral, Jeff Sessions.

De acordo com a secretária da Segurança Nacional dos Estados Unidos, Kirstjen Nielsen, os pedidos de asilo podem ser resolvidos "de forma eficaz e expedita", mas alertou que os requerentes podem ser judicialmente processados se apresentarem alegações falsas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG