Estado Islâmico assassinou 163 pessoas para que não fugissem de Mossul

O Alto-comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad al Hussein, disse hoje que o grupo Estado Islâmico assassinou pelo menos 163 pessoas para as impedir de fugir de Mossul, norte do Iraque.

O responsável, que falava na inauguração da 35.ª sessão do Conselho dos Direitos da ONU, referiu que o seu gabinete recebeu a informação de que há também muitas pessoas desaparecidas após o ataque dos jihadistas, ocorrido no passado dia 01 de junho.

"O terrorismo deve ser erradicado, mas de forma inteligente e desde que sejam preservados os direitos humanos de todos. Recordo que cada cidadão humilhado, maltratado ou torturado é uma pessoa que se sente rejeitada pelas autoridades, mas também toda a sua família", disse Zeid Hussein.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG