Espanhola grávida chega a Lesbos em barco de refugiados

Mercedes era uma das 51 pessoas que atravessaram o Mediterrâneo na esperança de chegar à Europa

Uma espanhola de 23 anos, grávida de cinco meses, chegou ontem à ilha grega de Lesbos, num barco de refugiados. Os socorristas espanhóis da organização Proactiva Open Arms foram apanhados de surpresa quando foram avisados de que no barco com 51 pessoas estava também Mercedes, que assegurava ter família em Saragoça.

A jovem nasceu no Panamá, mas foi criada em Espanha. Estava há cinco anos na Turquia e justificou a viagem dizendo que não tinha outra forma de regressar. "Mostrou-nos o DNI [bilhete de identidade espanhol], disse-nos que estava há cinco anos na Turquia, que não tinha recursos e que não conseguiu sair do país de outra forma. Pelo que nos contou não pagou para fazer a viagem de barco, mas não sabemos por que escolheu esta forma", contou o coordenador da Proactiva Open Arms em Lesbos, Gerard Canals, citado pelo diário espanhol La Vanguardia.

O barco onde seguia foi avistado pela equipa da Polícia Marítima portuguesa integrada na missão da Frontex e acompnahado até ao porto, já que aprecia ter demasiadas pessoas. À chegada, os membros de uma organização que prestava apoio ao refugiados deram conta que havia uma mulher espanhola no meio dos outros e chamaram os colegas espanhóis da Proactiva.

Segundo membros daquela ONG, a documentação que mostrou é verdadeira, ou seja, Mercedes é cidadã comunitária e poderia entrar na Europa facilmente ou mesmo pedir ajuda à embaixada espanhola para regressar, o que torna o seu caso rocambolesco. Aliás, os membros das organizações no terreno não têm memória de encontrar uma cidadã europeia nos barcos.

Exclusivos