Espanha regista mais 123 mortes. Número mais baixo desde 18 de março

Espanha chegou esta segunda-feira às 26 744 mortes e aos 224 390 casos confirmados de infeção por covid-19

Espanha registou esta segunda-feira mais 123 mortes e 621 casos confirmados de infeção por covid-19 nas últimas 24 horas.

No total, já se verificaram 26 744 óbitos e 224 390 casos de infeção em solo espanhol desde o início da pandemia.

Os dados diários indicam ainda que, nas últimas 24 horas, foram hospitalizados 257 doentes, num total de 122.971 pessoas que precisaram de ser internadas até agora.

No domingo Espanha tinha registado 143 mortes devido à pandemia, que já era o número mais baixo desde 18 de março.

Metade da população de Espanha beneficia a partir desta segunda-feira de mais um alívio das medidas muito rígidas de luta contra a pandemia de covid-19, numa altura em que continua a baixar o número diário de mortes.

A chamada "fase um" do plano de transição para a nova normalidade prevê, entre outras medidas, a abertura do pequeno comércio sem necessidade de marcação prévia, das esplanadas, desde que tenham até um máximo de 50% da sua ocupação, e a possibilidade de até 10 pessoas se poderem reunir.

No entanto, as duas regiões mais ricas e povoadas do país, Madrid e Barcelona, estão entre as zonas que se vão manter durante mais alguns dias na atual fase zero, em vigor desde há uma semana, quando foi autorizada a abertura parcial do pequeno comércio de rua, sempre por marcação prévia e acesso limitado.

As autoridades sanitárias consideram que estas zonas, que são as mais atingidas pela covid-19, vão ter de esperar mais alguns dias para preparar os respetivos sistemas de saúde para a próxima etapa do desconfinamento.

O levantamento das medidas em vigor desde meados de março que restringem a mobilidade dos cidadãos só deverá terminar no fim da fase três, prevista para os últimos dias de junho ou os primeiros de julho.

A maior parte das províncias espanholas que fazem fronteira com Portugal passam hoje para a "fase um", com a exceção de vários municípios da comunidade autónoma de Castela e Leão.

"Compreendemos a deceção daqueles que têm de permanecer na fase zero", afirmou no domingo a porta-voz do Governo espanhol, Maria Jesús Montero, em resposta a queixas de regiões como a de Madrid e a de Valência, acrescentando que "seria grave abandonar os critérios de saúde e orientar-se por considerações políticas ou outras".

Javier Tebas quer retomar liga espanhola a 12 de junho se for possível

O presidente da Liga espanhola de futebol, Javier Tebas, disse este domingo que "gostaria" que o campeonato fosse retomado a 12 de junho, apesar de não poder confirmar a data, que dependerá da evolução da pandemia de covid-19.

"Gostaria que a Liga começasse a 12 de junho, mas não sei o que acontecerá. Depende se há picos ou não de contágio. Isso não depende do futebol, mas da sociedade espanhola", disse Javier Tebas durante entrevista ao canal Movistar.

Javier Tebas realçou que o regresso do futebol, suspenso desde março devido à situação de pandemia de covid-19 provocada por um novo coronavírus, "é viável", porque o risco de contágio nos jogos será "praticamente inexistente".

O defesa do FC Barcelona Gerard Piqué, de 33 anos, em declarações ao mesmo canal de desporto espanhol, considerou que o esforço que a Liga está a fazer para regressar o campeonato "faz sentido", porque "a alternativa é terminar a temporada sem jogar, algo que seria bastante feio".

"Fomos bem informados pelos clubes sobre os testes de protocolo e estamos confortáveis. A experiência do treino, por si só, é diferente, mas temos que nos adaptar", disse Piqué, acrescentando que todas as medidas preventivas "são bem-vindas" e que "se todos cumprirem deve correr tudo bem".

O capitão do Real Madrid, Sergio Ramos, também ao canal Movistar, admitiu que o futebol é "secundário" neste "momento difícil" que se vive, devido à covid-19, mas também é "um motor económico e serve como uma distração para as pessoas que estão a passar por dificuldades".

"Sempre disse que estou empolgado e mal posso esperar para voltar a competir. Queremos que a Liga termine, que se jogue a Liga dos Campeões novamente e que a vida seja normal, mas precisamos de ser disciplinados, cautelosos e isso depende de seguir as normas", acrescentou.

A Liga espanhola de futebol, tal como a alemã, inglesa, italiana e portuguesa, está a preparar o regresso à competição, enquanto países como a França e a Holanda deram os campeonatos por cancelados e concluídos antecipadamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG