Com 90% dos votos contados, Erdogan está nos 53%

O presidente turco falou em "revolução democrática" depois de ter votado. Oposição turca fala em fraude. Os votos estão a ser contados

O chefe de Estado turco cessante, Recep Tayyip Erdogan, lidera os resultados das eleições presidenciais deste domingo na Turquia com 53,32% quando estão contados 90% dos votos, noticia a Reuters, citando os media oficiais.

Erdogan, que precisa de conseguir mais de 50% dos votos para evitar uma segunda volta, é seguido pelo social-democrata Muharrem Ince, que obteve 30,4% dos votos, segundo a contagem parcial. A acontecer, a segunda volta realiza-se a 8 de julho.

Curdos no Parlamento

Quanto ao parlamento turco, o partido do presidente, o AK, deverá também aumentar a sua representatividade (com 90% dos votos contados, tinha 43,1%). Aqui, a maior surpresa surge do curdo HDP, que conseguirá uma votação superior aos 10%, o mínimo necessário para entrar no Parlamento.

Estas foram as eleições mais disputadas desde que Erdogan chegou ao poder, em 2003.

Após ter votado, Erdogan saudou a "transição" para uma república presidencialista consagrada nas eleições presidenciais e parlamentares do país, depois de voltar, no distrito de Üsküdar, em Istambul.

"Paralelamente a estas eleições, a Turquia realizou uma revolução democrática. Pela primeira vez, passamos por uma transição para o presidencialismo", afirmou o chefe de Estado aos jornalistas.

Mais de 56 milhões de eleitores foram chamados a eleger o Presidente e o parlamento da Turquia, num duplo escrutínio em que o Presidente cessante, Recep Tayyip Erdogan, poderá não ser eleito à primeira volta.

Para estas eleições, presidenciais e legislativas, estão convocados 56,3 milhões de eleitores, enquanto os três milhões de turcos no estrangeiro exerceram o seu direito entre 07 e 19 de junho.

A votação começou às 08:00 locais (06:00 em Lisboa) e dura até às 17:00 (15:00 em Lisboa) em 181 mil assembleias de voto.

Oposição da Turquia divulga tentativas de fraude nas eleições

O principal partido da oposição turco divulgou tentativas de fraude durante as eleições legislativas e presidenciais.​​​​​​"Chegaram-nos numerosas queixas", sobretudo da província de Sanliurfa (sudeste), declarou o porta-voz do Partido Republicano do Povo (CHP, social-democrata), Bulent Tezcan, durante uma conferência de imprensa na sede da formação em Ancara.

Tezcan enumerou vários exemplos de tentativas de introduzir votos falsos nas urnas, evocando uma urna com mais de uma centena de votos, todos pela aliança dominada pelo partido no poder, Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), mesmo antes da abertura das assembleias de voto.

Também divulgou um vídeo, que afirmou ter autenticado, de um homem afirmando que existiam mais boletins que votantes numa assembleia de voto em Suruç.

O procurador de Sanliurfa, à qual pretende Suruç, afirmou ter aberto um inquérito após aquelas alegações e já foram detidas quatro pessoas, segundo a agência estatal Anadolu.

Temendo fraudes, em particular no sudeste de maioria curda, opositores e organizações não-governamentais mobilizaram várias centenas de milhares de observadores.

Delegação comunista francesa detida na Turquia

Três membros de uma delegação comunista francesa foram detidos em Agri, na Turquia, onde se tinham deslocado como observadores das eleições presidenciais e legislativas, anunciou o Partido Comunista Francês (PCF) num comunicado.

"O poder turco quer assim reprimir todas as vozes que divulgam as fraudes em massa, nomeadamente escrevendo no (rede social) Twitter que 'os membros da delegação seriam falsos observadores que tentariam manipular as eleições'", indicou o PCF.

"Eles foram detidos e impedidos de realizar a sua missão. Foram ouvidos por um procurador que ficou com os seus passaportes. Estão retidos na esquadra até ao final da votação", precisou à rádio Franceinfo o secretário-geral do Partido Comunista, Pierre Laurent.

A agência turca Anadolu informou que foram instaurados processos judiciais contra 10 estrangeiros acusados de se terem feito passar por observadores internacionais.

Notícia atualizada às 19:55.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG