Emails de Ivanka enviados de contas pessoais? Fake news, diz Trump

Presidente norte-americano reconhece que a filha usou email pessoal para tratar de assuntos oficiais enquanto sua assessora, mas desvaloriza caso.

O presidente dos Estados Unidos reconhece que a filha Ivanka usou uma conta de endereço eletrónico pessoal para tratar de assuntos oficiais. "Só para entenderem, Ivanka Trump enviou alguns emails, [mas] não eram classificados como os de Hillary Clinton", começou por dizer aos jornalistas.

O Washington Post noticiou na segunda-feira que a filha de Donald Trump enviou centenas de emails oficiais para colaboradores da Casa Branca, membros da administração e assistentes pessoais através da sua conta privada, em violação da lei federal de proteção de registos públicos.

Um porta-voz do advogado de Ivanka Trump esclareceu ao jornal que a filha do presidente entregou todos os emails para serem arquivados e que nunca enviou emails classificados nem os apagou, ao contrário de Hillary Clinton.

"Não houve apagamento, nada. É uma história falsa, é o que é", comentou Donald Trump, que aproveitou a ocasião para voltar a atacar a ex-secretária de Estado e sua adversária nas eleições presidenciais. "Hillary Clinton apagou 33 mil emails e tinha um servidor na cave. Ivanka Trump não tinha. As mensagens não eram classificadas, ao contrário das de Hillary Clinton. É tudo fake news."

Democratas querem investigação

Assessores do congressista Elijah Cummings, o dirigente democrata no Comité de Supervisão da Câmara dos Representantes, disseram que o as comunicações da Casa Branca vão ser investigadas quando os democratas assumirem a Câmara em janeiro.

"Queremos saber se Ivanka cumpriu a lei", disse o gabinete em um comunicado. Noutra declaração, Cummings informou que a Casa Branca não entregou os documentos solicitados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG