Eleva-se para 602 as mortes em Moçambique devido ao ciclone Idai

O Instituto Nacional de Gestão das Calamidades atualiza para 602 as mortes na sequência da ciclone Idai. E 1,5 milhões de pessoas afetadas, mais de 306 mil famílias.

O ciclone Idai e as chuvas em Moçambique entre os dias 10 e 23 de março, com especial incidência na província de Sofala, fez 602 óbitos e 1 641 feridos, atualizou este sábado o Instituto Nacional de gestão das Calamidades.

Também o número de lares afetados subiu, registando-se atualmente 306 152 famílias, num total de 1 514 445 pessoas.

Os ventos fortes (que chegaram a atingir 180 a 220 km/hora) e as chuvas torrenciais (mais de 200 milímetros de precipitação em 24 horas), acompanhadas de trovoadas, destruíram 11 163 casas e danificaram 15 784.

A tempestade teve maior incidência na faixa costeira das províncias de Cabo Delgado e Nampula e todo o território das províncias de Sofala, Manica, Zambézia e Inhambane.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG