Eleição de primeiro-ministro falha na Irlanda

Enda Kenny, atual chefe do governo, deverá ficar em funções de forma interina.

A Irlanda tornou-se o último país da zona euro a mergulhar na crise política. Depois de nenhum partido ou combinação de partidos ter assegurado maioria absoluta nas legislativas de 26 de fevereiro, Enda Kenny, atual primeiro-ministro e líder dos conservadores do Fine Gael, falhou ontem a usa reeleição pelo Parlamento irlandês (Dáil Éireann).

Na votação de hoje, Enda Kenny teve 57 votos a favor, quando a maioria absoluta é de 80. O líder do maior partido da oposição, o Fianna Fáil (de centro-esquerda), Micheál Martin, teve 43 votos favoráveis, o líder do Sinn Féin, Gerry Adams, obteve 24 e o líder da Aliança do Povo acima do Lucro, Richard Boyd Barrett, conseguiu apenas 9 fotos favoráveis no Parlamento.

Assim sendo, Kenny deverá demitir-se do cargo de primeiro-ministro, ficando depois na chefia de um governo interino até que o Parlamento consiga eleger um novo líder para o país. À falta de um entendimento que permita uma solução de governo estável, os irlandeses poderão regressar em breve às urnas para votar em eleições legislativas.

Exclusivos