Premium El Escorial abriga o Vale dos Caídos mas não quer saber da exumação de Franco

O DN visitou a aldeia de San Lorenzo de El Escorial em vésperas das eleições legislativas. A possível exumação de Franco do Vale dos Caídos não centra a preocupação dos seus habitantes, muitos deles ainda sem decidir o seu voto. Emprego, a unidade de Espanha e a corrupção são temas para eles bem mais importantes. Sabem em quem recusam votar, mas não em quem vão votar, fazem parte dos 30% de indecisos.

A primeira e a única vez que Juan esteve no Vale dos Caídos foi há mais de 60 anos. "Devia ter uns 4 anos e nunca mais lá voltei", conta ao DN este reformado que, há quatro décadas, vive em San Lorenzo de El Escorial. Esta é a localidade mais próxima da basílica que o general Franco mandou construir para enterrar as vítimas nacionalistas e republicanas da guerra civil e onde o próprio ditador acabou por ficar enterrado.

"Querer desenterrar Franco é remexer no passado. Vai trazer consequências graves. Para mim é indiferente. Sou filho de um capitão dos vermelhos porque era com quem o meu pai estava quando começou a guerra", conta Juan, declarando que apesar de não gostar de política vai votar no domingo. "Ainda não sei é em quem", confessa, em declarações ao DN.

Ler mais

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.