"El Chapo" acusado por testemunha de abusar de menores

Documentos libertados no julgamento do barão da droga mexicano incluem testemunho de que abusaria de raparigas a partir dos 13 anos, às quais chamava de "vitaminas". Defesa nega tudo

Uma testemunha ouvida no processo de Joaquin "El Chapo" Guzmán" confessou a tribunal ter ajudado a drogar raparigas menores, algumas com apenas 13 anos, para que estas fossem violadas pelo barão da droga mexicano. As informações constam de documentos do tribunal que foram desclassificados na passada sexta-feira, a pedido de diferentes órgãos de comunicação social norte-americanos, numa altura em que se aguarda a decisão do júri no julgamento por tráfico de droga que decorre no tribunal federal de Brooklyn, em Nova Iorque.

O testemunho em causa foi dado às autoridades por Alex Cifuentes, um traficante da droga que terá coabitado com "El Chapo" em 2007. De acordo com o depoimento em causa, Guzmán escolheria as raparigas a partir de fotos que lhe eram mostradas por uma mulher conhecida por comadre Maria, pagando depois cinco mil dólares (cerca de 4370 euros) por cada rapariga que lhe fosse entregue num dos seus esconderijos.

Cifuentes terá assumido ter ele próprio dado às raparigas bebidas onde tinha despejado "uma substância em pó", a mando do barão da droga, antes deste abusar das mesmas. A testemunha disse ainda que Guzmán chamava às menores "as suas vitaminas, porque acreditava que ter atividade sexual com raparigas novas lhe dava vida".

A defesa do mexicano negou as acusações, sustentando que estas "não têm qualquer corroboração e foram consideradas demasiado preconceituosas e duvidosas para serem admitidas em tribunal", lamentando ainda que a informação tenha sido tornada pública "mesmo antes de o júri dar início às suas deliberações".

O julgamento de Guzmán, antigo líder do cartel da droga de Sinaloa, incluiu um período superior a onze semanas, no qual a acusação chamou 56 testemunhas. A defesa chamou apenas uma testemunha a tribunal e tem mantido a tese de que muitos dos que o acusaram fizeram-no apenas para se livrarem eles próprios de acusações.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG