Ekhlas foi escrava sexual do ISIS durante seis meses quando tinha 14 anos

Jovem revelou que foi violada todos os dias

Em agosto de 2014 uma pequena aldeia do Iraque foi atacada por militantes do Estado Islâmico. Ekhlas, então uma jovem de 14 anos, ainda conseguiu fugir, mas acabaria por ser apanhada já nas montanhas. A partir daí, e durante seis meses, acabou por se tornar uma escrava sexual, segundo revelou a própria ao programa Victoria Derbyshire, da BBC.

"Eles vieram com as suas bandeiras negras. Mataram os homens e violaram as meninas. Mataram o meu pai à minha frente", começou por dizer Ekhlas, descrevendo depois tudo o que se passava na prisão para onde a levaram.

"Tudo o que escutava eram gritos e choro. Estávamos todos com fome, mas eles não alimentavam ninguém. Vi um homem de mais ou menos 40 anos sobre uma menina de 10. A menina gritava. Nunca me esqueci desses gritos. Ela dizia "mãe, mãe", mas não conseguimos fazer nada", salientou Ekhlas, agora com 17 anos, contando depois a sua história, depois de ter sido escolhida por um militante entre um grupo de 150 adolescentes.

"Era tão feio, como um monstro, com cabelos compridos. Cheirava tão mal, tinha tanto medo que não conseguia olhá-lo. Violou-me todos os dias durante seis meses. Tentei matar-me. Como consigo contar tudo isto sem chorar? Fiquei sem lágrimas", disse a jovem que um dia conseguiu fugir quando o seu sequestrador estava no campo de batalha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG