"Economia do Sri Lanka depende do turismo e vai sofrer com isto"

Akhil Bery, analista do Eurasia Group, diz que disputas políticas internas no Sri Lanka podem ter levado a falhas na comunicação de informações mas que essa não é a única razão para o que aconteceu no Domingo de Páscoa

Analista do Eurasia Group, consultoria de risco político, Akhil Bery fala ao DN sobre os atentados suicidas que no dia 21 fizeram 321 mortos e mais de 500 feridos no Sri Lanka.

Entre as vítimas mortais está o português Rui Lucas, de 31 anos, que é natural de Viseu e estava na ilha do Índico em lua-de-mel com a mulher. O casal encontrava-se hospedado no hotel Kingsbury. Um dos que foram atacados.

O primeiro-ministro do Sri Lanka e o seu governo foram demitidos pelo presidente, em outubro de 2018, mas recusam deixar o poder. O primeiro-ministro não tem acesso às reuniões do Conselho de Segurança e diz que não estava a par dos alertas dos serviços de informações em relação à hipótese de atentados terroristas. Acha que as disputas políticas internas no Sri Lanka têm alguma responsabilidade no que aconteceu?
Eu não acho que as lutas políticas internas possam ser culpadas pelas falhas dos serviços de informações. Parece ter havido mesmo uma quebra na disseminação das informações, mas é improvável que as diferenças entre o presidente e o primeiro-ministro tenham chegado ao ponto de não terem partilhado informação que pudesse ter evitado esta tragédia. Apesar disso, a luta política interna resultou numa quebra da comunicação entre o presidente e o primeiro-ministro. Nesse sentido, a luta interna pode ter resultado numa falha de comunicação de informações, mas não acho que seja a única razão.

Os conflitos sectários têm sido uma constante na história do Sri Lanka. Mesmo se a guerra civil com os Tigres Tamil acabou há dez anos, houve registo de confrontos entre budistas e muçulmanos no ano passado. E agora houve estes ataques contra os cristãos. Acha que pode haver uma escalada de violência no Sri Lanka?
Não acho que vá haver uma escalada de violência - não houve um conflito, de facto, entre muçulmanos e cristãos no Sri Lanka. Dado que a população muçulmana do Sri Lanka tem sido relativamente pacífica e tem estado ativa em ajudar as forças de segurança nas investigações.

Quão afetado será o setor do turismo no Sri Lanka?
A economia do Sri Lanka irá provavelmente sofrer com isto. É uma economia que depende do turismo, especialmente com forma de comércio externo. Cerca de um milhão de empregos dependem da indústria do turismo. O turismo é a terceira área de investimento direto no Sri Lanka. O turismo já tinha abrandado desde a crispação política que começou no ano passado e agora é provável que ainda abrande mais. É provável que haja cancelamentos de voos, tanto por parte de turistas, como por parte de empresários de negócios. Já tivemos indicação de férias a ser canceladas. Mas ainda é cedo para prever quais serão os números para o resto do ano.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG