Drone britânico interrompeu execução pública do Estado Islâmico

Aparelho da Força Aérea britânica abateu um sentinela, o que levou a multidão a dispersar

Um drone da Força Aérea britânica interrompeu, na passada semana, uma execução pública do Estado Islâmico na cidade de Abu Kamal, no leste da Síria, já próximo da fronteira com o Iraque.De

acordo com informação avançada pelo Ministério da Defesa, citado pelo jornal The Guardian, uma equipa que estava a monitorizar a região apercebeu-se, a 9 de maio último, que uma multidão se estava a juntar numa das principais ruas da cidade.

"Dois prisioneiros algemados foram retirados de uma viatura, em frente à multidão, e tornou-se claro que o Daesh estava a organizar uma execução pública", adiantaram as autoridades britânicas, acrescentando que, face à impossibilidade de disparar sobre os terroristas que se preparavam para levar a cabo a execução, dada a presença de muitos civis, o drone disparou sobre um sentinela que se encontrava num telhado.

De acordo com o ministério a ação provocou a morte do homem e a fuga dos restantes membros do Estado Islâmico que se encontravam no local e levou a multidão a dispersar. A informação disponibilizada não esclarece, no entanto, qual o destino dos dois prisioneiros.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.