Pelo menos "260 migrantes feridos" em Idomeni devido ao gás lacrimogéneo

Polícia macedónia nega ter usado gás lacrimogéneo e balas de plástico para afastar grupo de migrantes que tentava forçar barreiras na fronteira

Pelo menos "260 migrantes foram feridos" hoje em Idomeni, localidade grega fronteiriça à Macedónia, em confrontos com a polícia macedónia, que "utilizou gás lacrimogéneo e balas de borracha", indicou à agência France Presse a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Cerca de "200 pessoas foram socorridas pela nossa unidade médica com problemas respiratórios, 30 por ferimentos de balas de borracha e 30 por outros ferimentos", disse à agência France Presse Achilleas Tzemos, responsável daquela organização não-governamental no campo de Idomeni.

A polícia macedónia negou, no entanto, ter utilizado as balas. "Utilizámos produtos químicos autorizados e nenhum tipo de bala", declarou à AFP Liza Bendvska, uma porta-voz da polícia macedónia.

Uma fonte policial macedónia indicou que três polícias macedónios foram feridos com pedras.

Os incidentes começaram hoje ao final da manhã quando cerca de 500 migrantes concentrados na barreira fronteiriça para pedir a abertura da fronteira tentaram forçar a cerca e lançaram pedras contra os polícias macedónios.

Mais de 11 mil imigrantes e refugiados estão acampados há um mês e meio em condições miseráveis em Idomeni, no norte da Grécia, e manifestam-se quase diariamente pela abertura da fronteira, fechada desde o início de março, no quadro do bloqueio da designada "rota dos Balcãs" para os países do norte da Europa.

O governo grego tem tentado convencer os migrantes a sair daquele centro e a serem transferidos para outros, mas eles preferem ficar em Idomeni e esperar pela reabertura da fronteira.

Exclusivos