Um dos mais perigosos de Itália: detido chefe da Camorra procurado há 15 anos

Antonio Orlando era considerado um dos fugitivos mais perigosos de Itália e liderava o clã Orlando-Nuvoletta-Polverino, que dominava a região a norte de Nápoles.

Foi capturado esta terça-feira Antonio Orlando, chefe da Camorra - grupo mafioso italiano - e considerado um dos fugitivos mais perigosos de Itália. Orlando era procurado há 15 anos e foi detido num apartamento em Mugnano, Nápoles, onde se tinha refugiado há poucos dias. Tinha previsto mudar de esconderijo em breve, mas acabou por não voltar a escapar à polícia. Tinha em seu nome dois mandados de detenção, por associação criminosa, emitidos pela direção antimáfia italiana.

Orlando, de 60 anos, era o chefe do clã Orlando-Nuvoletta-Polverino, uma "federação" de três famílias mafiosas da Camorra, e conseguiu acumular fortuna nos anos em que esteve em fuga graças ao tráfico de droga, por supervisionar um canal privilegiado entre Itália e Marrocos para importação de haxixe. Foi precisamente o tráfico de estupefacientes que esteve na origem da ascensão do clã Orlando, desde o final da década de 1990 até 2010.

O mafioso não ofereceu resistência à detenção, mas segundo a imprensa italiana terá conseguido ainda queimar alguns documentos após a chegada das autoridades. Nos últimos anos, o clã das três famílias que Antonio Orlando chefiava sofreu várias detenções, grande parte em Espanha, uma vez que foram apanhados a branquear milhões de euros nas Ilhas Canárias, com origem no narcotráfico de Itália.

Matteo Salvini, o ministro do Interior italiano, já saudou a detenção de Orlando, tendo agradecido às forças de segurança. E acrescentou que a "boa vida" se acabou para o mafioso.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG