Destroços encontrados na África do Sul e Maurícias são do MH370

As duas peças foram analisadas na Austrália por uma equipa de peritos

O Governo da Malásia revelou hoje que pedaços de avião encontrados na África do Sul e nas Ilhas Maurícias pertencem "quase com toda a certeza" ao voo MH370, desaparecido em março de 2014 com 239 pessoas a bordo.

As duas peças foram analisadas na Austrália por uma equipa de peritos que concluiu que pertenciam ao Boeing 777 da Malaysia Airlines desaparecido há dois anos, disse o Governo malaio, num comunicado.

"Esta [análise] completa os resultados do exame anterior, realizado em março, em que as equipas [de peritos] confirmaram que os destroços encontrados em Moçambique pertenciam, com quase toda a certeza, ao MH370", acrescentou a mesma nota.

Todo estes destroços de avião se juntam a um outro encontrado em julho de 2015 na ilha francesa da Reunião, localizada a leste de Madagáscar, naquele que foi o primeiro vestígio tangível do Boeing 777.

O MH370 desapareceu 40 minutos depois de descolar de Kuala Lampur, rumo a Pequim.

Segundo as investigações, foram desligados os sistemas de comunicação e o avião foi desviado da rota, tendo acabado por se despenhar no oceano Índico quando o combustível acabou.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.