Desmantelada rede que obrigava mulheres a prostituírem-se 11 horas por dia

Grupo trazia mulheres da Roménia para Madrid sob promessa de trabalhar na hotelaria

A polícia nacional espanhola desmantelou uma rede de tráfico de seres humanos que obrigava mulheres a prostituírem-se, em Madrid. Na sequência desta operação, seis mulheres foram libertadas, revela o El Mundo.

Os agentes provaram que as mulheres eram trazidas de Roménia, sob falsas promessas de trabalhar no setor da hotelaria. Uma vez chegadas a Espanha, eram alojadas num apartamento perto da rua Montera, na capital espanhola, e obrigadas a prostituir-se. Além disso, viviam em condições precárias, dormindo, por exemplo, em colchões colocados no chão.

As vítimas eram obrigadas a manter relações sexuais sem proteção com os seus clientes para conseguirem ganhar mais dinheiro. Deviam vestir-se com roupa provocadora e maquilhadas para chamar a atenção dos clientes. Os preços e a duração dos encontros com os clientes eram afixados pelos líderes da rede de exploração de seres humanos. Todas começavam a trabalhar às 16.00 e só terminavam às 03.00. Só podiam estar 15 minutos com os clientes e eram multadas se ultrapassassem esse tempo.

A investigação descobriu ainda que estas mulheres sofreram agressões sexuais por parte do líder da organização.

A polícia partilhou um vídeo no Twitter das detenções dos líderes da rede criminosa.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG