Descida dos Trabalhistas nas eleições locais britânicas pressiona Corbyn

Mas talvez não seja uma derrota total para o Labour - o seu candidato está posicionado para se tornar o primeiro presidente muçulmano da Câmara de Londres

O principal partido da oposição no Reino Unido, o Partido Trabalhista (Labour Party), deverá perder terreno nas eleições regionais e locais, de acordo com os resultados provisórios disponíveis esta manhã de sexta-feira. Esta queda no apoio ao partido poderá desafiar a autoridade do líder do partido, Jeremy Corbyn.

No maior teste das perspetivas políticas desde que o Partido Conservador de David Cameron venceu a eleição nacional há um ano, os britânicos votaram esta quinta-feira para eleger autoridades regionais na Escócia e no País de Gales, mais de 2700 autarcas em toda a Inglaterra e um novo presidente da Câmara na capital do país, Londres.

As eleições têm sido enquadradas como um teste aos primeiros oito meses de Jeremy Corbyn à frente dos Trabalhistas após a sua vitória surpreendente nas eleições internas, em setembro, que confirmou uma brusca viragem à esquerda da posição política do partido.

Com mais de metade dos votos nas eleições locais em Inglaterra já contados, os Trabalhistas tinham perdido apenas 28 assentos. Mas a percentagem dos votos estava 9% mais baixa na Escócia e quase 8% mais baixa no País de Gales. "Devias estar a ganhar por uma margem enorme em todo o país, com a forma como este governo conservador se tem comportado e a forma como têm conduzido o país", disse o trabalhista John Mann à televisão BBC. "Estamos a aguentar-nos, mas devíamos estar muito melhor do que isto".

O único incentivo para um partido que está a ter dificuldades em responsabilizar o governo pelo que dizem ser graves erros de políticas poderá ser a eleição autárquica em Londres, onde sondagens à boca das urnas mostram que o candidato trabalhista, Sadig Khan, poderá tornar-se o primeiro presidente muçulmano da Câmara de Londres.

Se se confirmarem as perdas generalizadas, isto representará um veredicto negativo para a liderança de Corbyn, que tem sido dificultada por fortes discussões com um grupo moderado de legisladores trabalhistas e uma série de crises embaraçosas - recentemente, alguns membros do partido expressaram publicamente opiniões antissemitas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG