Desapareceu o misterioso monólito de metal encontrado no deserto do Utah

Autoridades locais disseram que desconhecidos retiraram na sexta-feira o estranho objeto, que tinha quase quatro metros de altura e parecia saído do filme "2001: Odisseia no Espaço".

O misterioso monólito de metal que tinha sido encontrado no meio do deserto no Utah, nos EUA, desapareceu tão misteriosamente como apareceu.

O Gabinete de Gestão de Terras do Utah disse no sábado que tinha recebido "notícias credíveis" de que o objeto tinha sido removido por "desconhecidos" na sexta-feira ao final da tarde.

"O gabinete não removeu a estrutura que é considerada propriedade privada. Não investigamos crimes que envolvem propriedade privada, que são entregues ao gabinete do xerife local", acrescentaram.

Nas redes sociais, já há quem tenha publicado fotos do local, dizendo que foi deixado para trás o prisma que estava no topo do monólito.

O monólito triangular, brilhante, que saía quase quatro metros das rochas no sul do Utah, foi visto pela primeira vez a 18 de novembro e surpreendeu os responsáveis que estavam a contar ovelhas desde o ar.

Depois de pousarem o helicóptero para investigarem, a equipa encontrou "um monólito metálico instalado no chão", mas "nenhuma indicação óbvia de quem poderia tê-lo colocado lá".

As notícias da descoberta tornaram-se virais, com muitos a apontar as semelhanças do objeto com os estranhos monólitos extraterrestres que desencadeiam enormes saltos no progresso humano no clássico de ficção científica de Stanley Kubrick, "2001: Odisseia no Espaço".

Outros assinalaram a sua descoberta num ano complicado, de combate à pandemia da covid-19, e especularam de forma otimista que pudesse ter outra função. "Este é o botão para fazer reset a 2020. Será que alguém pode carregar nele rapidamente", escreveu um utilizador do Instagram.

"Alguém levou tempo a usar algum tipo de ferramenta que corte cimento ou algo para escavar, quase na mesma forma do objeto, e embuti-lo bem", disse um porta voz do Departamento de Segurança Pública, Nick Street, ao The New York Times.

"É estranho", acrescentou. "Há estradas perto, mas levar os materiais para cortar a pedra e carregar o metal, que é mais alto do que 3,6 metros em partes -- fazer tudo isso nesse local remoto é definitivamente interessante", referiu.

Alguns referiram as semelhanças do objeto ao trabalho avant-garde de John McCracken, um artista norte-americano que viveu próximo, no Novo México, e morreu em 2011.

Outros lembraram que a série de ficção científica, Westworld, esteve a ser gravada na zona.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG