Deputado brasileiro destrói placa de exposição anti racismo

Coronel Tadeu, do ex-partido de Bolsonaro, ficou incomodado com imagem em que um negro aparece morto e um polícia se afasta de arma na mão. Autor diz que o ataque só confirma o teor do cartoon

Uma placa de uma exposição contra o genocídio negro nos corredores do Congresso Nacional, no Brasil, foi depredada por um deputado, poucos minutos depois de ser inaugurada.

O Coronel Tadeu não gostou de uma imagem em que um negro, algemado, está estendido no chão enquanto um agente da polícia se afasta com uma arma, ainda a fumegar, na mão.

A exposição chama-se Resistir no Brasil e visa alertar "para a existência e a resistência da população negra no país", a maior vítima das forças de segurança.

Coronel Tadeu, que pertence ao ultra-conservador PSL, o partido do qual hoje mesmo o presidente da República Jair Bolsonaro se desvinculou para aderir ao Aliança Pelo Brasil, de extrema-direita, foi filmado por uma deputada do PSOL, de extrema-esquerda, durante a depredação.

Mais tarde, ele enviou carta ao presidente da Câmara dos Deputados a solicitar a retirada daquela imagem. e publicou vídeo onde dizia "polícias não são assassinos, polícias são guardiões da sociedade".

O autor da imagem, o cartunista Carlos Latuff disse que a agressão do deputado "apenas confirma a charge". "Se fazem isso contra um cartaz, imagina o que fazem contra gente de pele negra", acrescenrtou.

Exclusivos