Protestos contra o brexit em Londres

Leia o "filme" dos acontecimentos que marcam a história da União Europeia

Dezenas de pessoas, a maioria jovens, reuniram-se esta tarde frente ao Parlamento, em Londres, em manifestação contra o resultado do referendo britânico sobre a União Europeia. Nigel Farage, o líder do partido nacionalista Ukip, e Boris Johnson, o ex-mayor londrino que apoiou o brexit, foram as duas personalidades mais visadas pelos manifestantes.

Os líderes da União Europeia vão reunir-se na próxima terça e quarta-feira numa cimeira que será dominada pelo arranque do processo de saída do Reino Unido. Em carta enviada às 28 capitais, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, refere que a reunião irá decorrer sem a presença do primeiro-ministro demissionário David Cameron.

Cameron anunciou pouco depois das oito da manhã desta sexta-feira que abandona o cargo, na sequência dos resultados do referendo em que o Reino Unido decidiu sair da União Europeia. Na sequência desta decisão dos britânicos, a Escócia, que votou maioritariamente pela permanência na UE, pondera agora referendar novamente a independência do Reino Unido. E os líderes europeus não querem incertezas e apontam para um divórcio rápido, apesar de doloroso.

Os primeiros resultados foram conhecidos cerca das 6:00: o Brexit tinha então o número de votos necessários para sair vencedor deste referendo. Menos de uma hora depois, os números eram finais: 51,9% dos britânicos votaram pela saída da UE. Foi a oficialização das projeções das estações de televisão britânicas que, tendo em conta os votos contados, previram uma hora antes que a saída do Reino Unido da União Europeia seria mesmo o resultado do referendo desta sexta-feira. Uma verdadeira reviravolta após todas as sondagens divulgadas à boca das urnas terem dado uma vitória pela manutenção do país da União.

Exclusivos