Demorou muito tempo no almoço? Austrália quer que colegas se queixem

Os funcionários públicos da Australian Taxation Office - a Autoridade Tributária do país - receberam um memorando onde lhes é pedido que não só vigiem os colegas, como denunciem comportamentos "suspeitos". E quais são estes? Demorar muito tempo a almoçar ou ler o jornal durante as horas de expediente.

Segundo a BBC, o documento foi enviado para 20 mil funcionários, em dezembro de 2017, e houve logo vozes de críticos que se levantaram para dizer que esse tipo de denúncias prejudicam "a cultura do local de trabalho".

O memorando começa por perguntar aos trabalhadores: "Vê algo suspeito? "Pode já o ter visto antes. Um colega tem o hábito de fazer um almoço longo, ou sai mais cedo regularmente ou passa a primeira hora no trabalho a tomar o pequeno-almoço e a ler o jornal... ou todos estes itens ao mesmo tempo", lê-se no memorando.

As queixas deveriam ser comunicadas ao supervisor. O documento também recorda que falsificar o horário de trabalho constitui uma "fraude" e que todos os funcionários são obrigados a denunciar essas ilegalidades.

Para os sindicatos e especialistas, essa política só ajuda a colocar os trabalhadores uns contra os outros, além de ser uma invasão de privacidade.

Angela Knox, especialista em relações de trabalho na Universidade de Sydney, disse à BBC que a política criou um ambiente hostil entre os profissionais. "Esta vigilância [ao estilo] Big Brother é muito preocupante", sublinhou.

Num comunicado, a Australian Taxation Office deu conta de que a maioria dos seus trabalhadores tinha cumprido com as expectativas.

"Estamos orgulhosos de ter uma força de trabalho que procura manter os mais altos níveis de integridade", dizia ainda o documento.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG