Democratas pedem documentos à Casa Branca sobre caso Ucrânia

Donald Trump tem até ao dia 18 para fornecer a documentação solicitada oficialmente pelos comités que investigam o processo de impeachment que nasceu de uma conversa telefónica com o presidente da Ucrânia.

Os dirigentes democratas que dirigem o inquérito do Congresso dos EUA no quadro do processo de destituição de Donald Trump solicitaram oficialmente à Casa Branca documentação relacionada com a Ucrânia até ao próximo dia 18.

Os documentos estão ligados a uma conversa por telefone entre Trump e o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky em 25 de julho. Na chamada telefónica, Trump pressionou Zelensky para investigar o seu principal adversário político democrata, Joe Biden. O inquérito de impeachment resulta da conversa, que foi tornada pública por um denunciante em agosto.

Foi alegado que Trump usou um pacote de ajuda militar de 400 milhões de dólares para a Ucrânia, suspenso no início de julho, como uma alavanca para convencer Zelensky. A Casa Branca acabou por libertar a ajuda em setembro.

Trump negou sempre qualquer irregularidade, acusando os oponentes políticos de uma "caça às bruxas".

Mas, numa tentativa para aumentar a pressão sobre o presidente, os três comités da Câmara que lideram a investigação intimaram-no para entregar os documentos até 18 de outubro.

"A Casa Branca recusou colaborar, e até responder, a pedidos múltiplos de comissões para a entrega voluntária de documentos. Ao fim de mais de um mês de obstrução, parece evidente que o Presidente escolheu a via do desafio, do entrave e das operações de dissimulação. Lamentamos profundamente que o presidente Trump nos tenha colocado - e a nação - nessa posição, mas as suas ações deixaram-nos sem outra opção a não ser emitir a intimação", escreveram, em comunicado, os democratas numa carta à Casa Branca. A intimação - uma ordem de entrega de provas - foi emitida na sexta-feira pelos presidentes dos comités de Supervisão, Inteligência e Relações Exteriores.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Stephanie Grisham, tentou minimizar, dizendo que "nada muda".

Um pedido separado de registos também foi enviado ao vice-presidente Mike Pence, com os democratas a pedir que esclareça "qualquer papel que possa ter desempenhado" nas propostas de Trump à Ucrânia.

Se os democratas conseguirem um impeachment de Trump - por meio de uma votação na Câmara dos Deputados -, um julgamento será realizado no Senado. Os senadores teriam que votar para condenar Trump por maioria de dois terços e assim removê-lo do cargo. Mas esse resultado é considerado improvável, dado que os colegas republicanos do presidente controlam o Senado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG