Estado de emergência em Mocoa. Cheias causaram mais de 200 mortos

O número de vítimas mortais resultante das cheias em Mocoa, uma cidade do sul da Colômbia, subiu para mais de 200, havendo 202 feridos e mais de 220 pessoas desaparecidas, anunciou hoje a Cruz Vermelha local.

De acordo com Cesar Uruena, responsável da Cruz Vermelha colombiana citado pela agência AFP, estão confirmados 206 mortos, 202 feridos e 220 pessoas desaparecidas.

A tempestade violenta que se abateu sobre a cidade de Mocoa na sexta-feira à noite "destruiu totalmente" 25 casas, acrescentou o responsável.

O presidente da Colômbia decretou no sábado o estado de emergência nesta cidade do sul do país, explicando que o estado de emergência em Mocoa vai permitir mobilizar meios de socorro para a cidade, onde chuva intensa desencadeou uma torrente de água e lama quando três rios transbordaram, apanhando os habitantes desprevenidos.

Mocoa, que se situa na confluência dos rios Mocoa, Sangoyaco e Mulatos, fica na fronteira com o Equador e tem cerca de 350 mil habitantes.

Um médico que estava a assistir as vítimas na cidade afirmou que há falta de sangue para atender aos feridos.

Testemunhas do sucedido afirmaram ter sentido os edifícios a vibrar de repente, sem que houvesse tempo para as vítimas procurarem abrigo.

A tragédia ocorreu durante a noite quando um forte aguaceiro fez aumentar o caudal dos rios Mocoa e dos seus afluentes Sangoyaco e Mulatos, que transbordaram, provocando uma enxurrada de agua e pedras que arrastou tudo o que encontrou.

Assim que soube da ocorrência, o Presidente viajou até Mocoa para supervisionar as operações de resgate, que estão a cargo das unidades militares da zona.

Segundo o governante, "30% da chuva de um mês caiu durante a noite, o que levou a uma súbita e crescente subida do nível de vários rios", causando as enxurradas.

Segundo informação do responsável do exército no local, os serviços de urgência do principal hospital da cidade de Mocoa colapsaram devido à quantidade de feridos que deram entrada.

As buscas continuam e estão a ser alargadas à região de Puerto Limón, onde apareceram alguns cadáveres.

A cidade de Mocoa, situada no meio da selva amazónica, apenas está ligada ao resto do país por via aérea e por uma estrada precária, o que dificulta a chegada de apoio, que, entretanto, começou a chegar, disse a mesma fonte.

Exclusivos