David Cameron garante apoio de polacos e dinamarqueses

Sondagem YouGov ontem divulgada pelo jornal "Times" indica que 45% dos britânicos apoiam a saída do Reino Unido da UE

O primeiro-ministro britânico conseguiu ontem garantir o apoio da Dinamarca e da Polónia ao acordo negociado no âmbito da realização do referendo sobre a permanência do Reino Unido na UE. David Cameron esteve ontem nestes dois países reunido com os seus respetivos chefes de governo.

Após uma reunião com o líder conservador britânico, a primeira-ministra polaca manifestou o seu apoio ao acordo negociado entre Londres e Bruxelas para que Cameron possa defender o sim à permanência do seu país na UE (e não o chamado Brexit). Beata Szydlo, do partido Lei e Justiça, considerou legítimo que o Reino Unido queira a devolução de competências nacionais e o reforço da soberania para aumentar a competitividade. Porém, sublinhou, "há tópicos que ainda têm que ser polidos. Mais de um milhão de polacos vivem e trabalham em território britânico".

Szydlo referia-se à necessidade de polir o ponto do acordo que prevê a introdução de um travão de emergência que permite privar do acesso a apoios sociais os trabalhadores imigrantes durante um período de quatro anos. O líder do Lei Justiça, Jaroslaw Kaczynnski, que também se reuniu com Cameron, assumiu estar "satisfeito" com as reformas por ele apresentadas e considerou que estas garantem "a proteção de todos os polacos que já se encontram no Reino Unido".

Depois de assegurar o apoio da Polónia ao acordo, Cameron ouviu semelhante posição do primeiro-ministro dinamarquês. Lars Lokke Rasmussen declarou que as medidas propostas pelo líder britânico são "compreensíveis e aceitáveis" e que as apoiará "dentro do possível".

A nuvem do "Brexit" começa a assombrar Cameron que, numa corrida contra o tempo, precisa que os líderes europeus aprovem o acordo que conseguiu na negociação com a Comissão Europeia e o presidente do Conselho Europeu, o polaco Donald Tusk. O líder britânico gostaria de vê-lo aprovado na cimeira dos dias 18 e 19. O referendo poderia acontecer em junho.

Uma sondagem YouGov para o jornal 'Times', ontem divulgada, revelou que 45% dos britânicos estão a favor do "Brexit" (acrónimo em inglês para a saída do país da UE) e 36% contra. Os restantes 19% ainda não tomaram uma decisão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG