Crocodilos preocupam habitantes de várias zonas de Bissau

O caso mais preocupante é o do parque de N´Batonha, situado entre dois hotéis e a sede das Nações Unidas, em Bissau.

Habitantes de várias zonas da capital guineense estão preocupados com a presença de crocodilos e as autoridades criaram uma comissão de seguimento, disse à Lusa Udimila Queta, do Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas (IBAP).

Nos últimos dias, populares das zonas de Cacoma, de Granja, de São Paulo, Peré, localidades dos subúrbios de Bissau, e do parque de N´Batonha, no centro da cidade, têm denunciado a presença de crocodilos.

O caso mais preocupante é o do parque de N´Batonha, situado entre dois hotéis e a sede das Nações Unidas, em Bissau.

O parque é um lago natural com muita vida selvagem, entre peixes, pássaros e sapos e famílias de crocodilos, segundo os especialistas da vida animal.

Por ser uma zona com água, vida selvagem, equipamentos de lazer e de desporto ao ar livre, os pais costumam levar as crianças para brincar enquanto praticam exercício físico.

Devido à preocupação dos habitantes de Bissau, foi instituída uma comissão de trabalho e seguimento que pede à população para não entrar em pânico.

Em comunicado emitido pela comissão, faz-se saber que os crocodilos estariam a ser atraídos para zonas de circulação humana devido ao aumento de carcaças, vísceras, sangue bovino e outros restos de animais vazados para a água.

A comissão é integrada pela Câmara Municipal de Bissau, Serviço de Proteção Civil, Direção Geral das Florestas e Fauna, Direção Geral da Veterinária, Instituto Marítimo Portuário, Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas e a Guarda Nacional.

Foi disponibilizada um número de telemóvel para alertas, mas brevemente a comissão vai anunciar uma série de medidas para evitar possíveis ataques de crocodilos, refere-se no comunicado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG