Cria de bisonte morre depois de casal de turistas tentar "salvá-la"

Meteram animal na mala do carro porque julgavam que estava com frio. Cria acabou rejeitada pela mãe devido à interferência dos turistas

Uma cria de bisonte que vivia no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos da América, teve de ser eutanasiada depois de um casal de turistas a ter retirado do seu habitat natural, o que fez com que a manada a rejeitasse. Os turistas julgaram que o animal estava com frio e, por isso, colocaram-no no porta bagagens do automóvel, levando-o para um dos postos dos guardas-florestais do parque.

Pensando que tinham salvo a cria, acabaram por ser multados no momento e o animal foi devolvido ao local de onde tinha sido retirado. Mas o dano já tinha sido feito. Conforme explicou um dos porta-vozes do parque, citado pelo The Telegraph, "a interferência humana pode fazer com que as mães rejeitem as crias".

O responsável acrescentou que os turistas, cuja identidade não foi revelada, acreditavam mesmo ter ajudado o animal bebé, pois este parecia estar prestes a morrer de frio. No dia do incidente, a temperatura no parque variava entre os 3 e os 10 graus.

No comunicado dos serviços do parque de Yellowstone, divulgado segunda-feira, lê-se que os guardas tentaram várias vezes reaproximar a cria de bisonte e a mãe, mas que a progenitora sempre a rejeitou.

Segundo os agentes, a cria teve de ser eutanasiada pois "foi abandonada" e representava "uma situação de perigo por se aproximar várias vezes das pessoas e carros" que circulam no parque.

A atitude dos turistas tem sido duramente criticada nas redes sociais. Porém, um especialista em vida animal, Troy Westre, disse em entrevista à estação americana NBC que a cria não era saudável, senão os turistas não a conseguiriam apanhar. "Com três dias eles já conseguem correr até 48 quilómetros por hora", sublinhou, acrescentando que as mães bisontes se tornam agressivas quando alguém se aproxima dos filhos.

Desde o passado dia 9 de maio, o bisonte é considerado um símbolo nacional dos Estados Unidos da América, após a assinatura do decreto pelo presidente Barack Obama. No Parque Nacional de Yellowstone habitam cerca de três mil bisontes e os turistas estão proibidos de estarem a menos de 20 metros dos animais.

Exclusivos