Covid-19. Reis da Holanda interrompem férias na Grécia após críticas

O rei holandês Willem-Alexander e sua mulher interromperam as férias na Grécia na sexta-feira após serem criticados por viajarem durante a pandemia do coronavírus.

"Vemos as reações das pessoas e os relatos dos media", disseram Willem-Alexander e sua mulher , a rainha Máxima, em comunicado publicado pela Casa Real na noite de sexta-feira, para responderem às críticas de que estavam a ser alvo por estarem de férias na Grécia. "Não queremos deixar dúvidas de que é necessário seguir as diretrizes para controlar o vírus covid-19. A discussão sobre nossas férias não está a contribuir para isso".

As férias dos reis na Grécia não tinham quebrado nenhuma das regras estipuladas, incluindo as novas restrições impostas no país para responder a um dos maiores surtos de coronavírus da Europa. Embora o governo holandês tenham desencorajado os cidadãos a realizarem viagens desnecessárias.

"Isso é imprudente e incompreensível", escreveu a agência de notícias ANP citando o parlamentar Joost Sneller, do partido D-66, um dos parceiros da coligação de governo do primeiro-ministro Mark Rutte, sobre as férias do rei. O próprio Rutte, num discurso à nação transmitido pela televisão, tinha pedido na terça-feira para os holandeses não "testarem os limites das regras" .

"Pode sair de férias, mas depois vá para o lugar onde tem sua casa de campo ou quarto de hotel e não se mexa", disse o primeiro-ministro. "Se você for para o exterior, as suas opções são limitadas, pois há poucos países que querem receber."

O rei Willem-Alexander, que tem uma villa particular no sul da Grécia, viajou num jato do governo, segundo a ANP. Depois da polémica, os monarcas pediram desculpas pelas férias realizadas em agosto e na sequência de uma foto publicada que mostrava os dois a quebrarem as regras de distanciamento social na ilha de Milos.

A Holanda registou quase oito mil novos casos de covid-19 na sexta-feira passada.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG