Coronavírus já matou mais do que a SARS na China: número de mortos subiu para 361

O número de mortes confirmadas pelo surto de coronavírus na China aumentou para 361, excedendo o número de mortes no país do surto de SARS de 2002-03.

As autoridades da província de Hubei relataram 56 novas mortes provocadas pelo coronavírus, na atualização feita na noite deste domingo (já segunda-feira de manhã na China).

Os números divulgados comissão de saúde da província de Hubei, a mais afetada pelo vírus, também mostraram um salto nas infeções confirmadas, com 2.829 novos casos, o que coloca o total acima de 17.200, com base em números anteriormente emitidos pelo governo central chinês.

Atualmente, o número de casos de vítimas mortais (360) já excede o número de mortes no país devido ao surto de SARS, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave, que matou 349 pessoas na China continental em 2002 e 2003.

A primeira morte fora da China continental foi confirmada também neste domingo, quando um homem de 44 anos, natural de Wuhan, morreu nas Filipinas.

Ainda este domingo, foi anunciado que os países do G7 - Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos, todos com casos confirmados do vírus - vão trabalhar uma resposta conjunta ao surto, entre outras coisas através da procura de uma vacina, informou o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn.

As autoridades chinesas acreditam que o novo coronavírus tenha surgido em dezembro num mercado que vendia caça selvagem na capital da província de Hubei, Wuhan.

A epidemia atingiu uma emergência de saúde global, declarada pela Organização Mundial de Saúde na passada semana, com casos relatados em mais de 20 países.

Portugueses ficam em isolamento

Chegaram este domingo a Portugal os portugueses repatriados de Wuhan. Vão ficar 14 dias em quarentena, em isolamento e sem direito a visitas, distribuídos por dois hospitais de Lisboa. Isto, apesar das análises efetuadas na China terem dado negativo à presença do coronavírus, mas é uma medida de prevenção e que segue os procedimentos internacionais para esta nova epidemia, explicaram as autoridades portuguesas, em conferência de imprensa.

À chegada ao aeroporto militar de Figo Maduro, em Lisboa, cerca das 20:30, os passageiros foram deslocados para a sala de embarque para avaliarem a sua história clínica e outros elementos.

[atualizado às 01.53, com aumento do número de mortos de 360 para para 361, bem como de infetados para mais de 17.200]

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG