Coreia do Sul e EUA fazem exercício aéreo em clima de tensão com Pyongyang

O exercício Max Thunder começou no céu sul-coreano na passada sexta-feira e conta com 1200 soldados dos EUA e cerca de 600 sul-coreanos

A Coreia do Sul e os EUA estão a fazer um exercício de defesa aérea de duas semanas, informou hoje a Força Aérea norte-americana, na reta final das manobras militares conjuntas de primavera, que geraram tensão com Pyongyang.

O exercício Max Thunder começou no céu sul-coreano na passada sexta-feira, apesar de o seu início só hoje ter sido revelado, e vai estender-se até ao próximo dia 29, na véspera da conclusão das manobras conjuntas de dois meses em terra, mar e ar, Foal Eagle.

O Max Thunder conta este ano com a participação de 1200 soldados dos Estados Unidos, cerca de 600 da Coreia do Sul e mais de 100 aviões das forças aéreas dos dois países, segundo o comunicado da Força Aérea.

O exercício aéreo, como outros no quadro das manobras Foal Eagle, está orientado para "dissuadir e responder a qualquer provocação" da Coreia do Norte, segundo afirmou o tenente general Lee Keun-Wang, comandante da Força Aérea sul-coreana, em declarações à agência Yonhap.

As manobras de grande escala Foal Eagle e Key Resolve - esta última realizada em março - são este ano as maiores já realizadas pelos aliados, destacando mais de 17 mil efetivos norte-americanos e 300 mil sul-coreanos.

A Coreia do Norte, que as considera um ensaio de invasão ao seu país, respondeu com ameaças de guerra e lançamentos de mísseis de curto e médio alcance.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG