Condutor da Uber acusado de raptar cliente. A mulher recebeu conta de mil dólares

A viagem começou no estado de Nova Iorque e acabou no Connecticut.

Um condutor da Uber em Nova Iorque foi acusado de rapto e fraude, depois de ter levado uma cliente para outro estado, quando esta adormeceu no banco de trás.

A mulher contou à polícia que acordou com o homem a tentar apalpá-la, tendo sido depois deixada à beira da estrada. E ainda viu a empresa cobrar-lhe 1047 dólares (905) pela viagem que começou no estado de Nova Iorque e acabou no Connecticut, segundo noticia o The New York Times. O homem terá mudado o destino para uma morada em Boston, Massachusetts, e ainda cobrado uma taxa de limpeza.

O homem é acusado de ter apanhado a mulher em Manhattan, em fevereiro passado, às 23.30 de fevereiro passado, com destino a um subúrbio a cerca de 30 km. A alegada vítima acabou por adormecer e acordou com o condutor no banco de trás, com a mão debaixo da roupa dela, segundo os procuradores, citados pelo jornal norte-americano. Depois de resistir ao assédio, a mulher foi deixada a mais de 100 km de Manhattan, tendo de andar até uma loja de conveniência para pedir ajuda.

O condutor foi detido, de 24 anos, foi detido na terça-feira.

"Ninguém, homem ou mulher, devia ter medo de um ataque deste tipo quando apanham um carro alugado", disse Geoffrey S. Berman, procurador de Nova Iorque, levantando novamente a questão da avaliação dos condutores contratados pelas plataformas de transporte e pelas empresas de táxi.

A Uber assegurou que colaborou completamente com as autoridades.

Exclusivos