Será "extremamente difícil" para UE trabalhar com Trump

Moscovici diz que propostas de Trump são antieuropeias e protecionistas

O comissário europeu para os Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, considerou esta quarta-feira que será "extremamente difícil" para a União Europeia "trabalhar com uma administração Trump", se o provável candidato republicano às presidenciais norte-americanas ganhar as eleições em novembro.

"A Comissão Europeia não tomou posição" em relação à candidata à nomeação democrata Hillary Clinton e a Donald Trump, disse Moscovici, numa entrevista a meios de comunicação social franceses.

Mas questionado sobre se Bruxelas têm preferência por algum dos dois, o comissário europeu respondeu: "Sim, porque quando vejo Donald Trump, vejo a figura de um populista, vejo declarações que são criticadas por membros do Partido Republicano - e não pouco importantes, creio que o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, disse que ele tinha feito declarações racistas ao falar de um juiz de origem mexicana -, vejo propostas que são antieuropeias, vejo propostas protecionistas".

Considerando que "será extremamente difícil trabalhar com uma administração Trump", Moscovici disse esperar que tal possa ser evitado. "Espero-o como responsável político (...)", adiantou.

Sublinhou, no entanto que "se Donald Trump for amanhã presidente dos Estados Unidos, ele terá essa legitimidade e ter-se-á de trabalhar com ele".

"A Comissão Europeia manifesta, pelo menos eu expresso, preocupações em relação a uma candidatura por vezes barroca", disse ainda Moscovici.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG