Comissão do Congresso exige ter acesso a relatório completo de Mueller

Democrata Jerry Nadler diz que o Congresso não pode ficar "às escuras".

O presidente da Comissão dos Assuntos Judiciários da Câmara dos Representantes dos EUA, o democrata Jerry Nadler, intimou o Departamento de Justiça a divulgar o relatório completo da investigação do procurador-especial Robert Mueller.

O documento de 448 páginas com as conclusões do inquérito à alegada interferência dos russos nas presidenciais de 2016 e suposto conluio da campanha de Donald Trump que foi divulgado na quinta-feira foi editado, com alguma da informação rasurada por questões de segurança. Nadler alega que não pode aceitar uma versão parcial que "deixa a maioria do Congresso às escuras".

"A minha comissão precisa e tem direito à versão completa do relatório e as provas subjacentes consistentes com as práticas do passado. As rasuras parecem ser significativas. Até agora não vimos nenhuma das provas reais que o Conselho Especial desenvolveu para chegar às suas conclusões", disse Nadler num comunicado.

"Até a versão rasurada do relatório descreve graves circunstâncias de transgressão da parte do presidente Trump e de alguns dos seus associados mais próximos", refere o texto.

O congressista quer que o Departamento de Estado forneça o documento original, completo, até 1 de maio. Nesse dia, o procurador-especial William Barr vai testemunhar diante de uma comissão no Senado, devendo um dia depois testemunhar na de Nadler. A intimidação é o passo de partida para uma longa batalha legal sobre o tema.

O presidente considerou esta sexta-feira a existência de testemunhos "montados" no relatório de Mueller. "As alegações que me visam feitas por certas pessoas no hilariante relatório Mueller, escrito por 18 democratas em cólera e irritados contra Trump, são montados de todas as peças e totalmente falsos", escreveu Trump no Twitter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG