Timochenko denuncia fraude e reivindica segundo lugar

Volodymyr Zelenskiy, protagonista do programa de televisão "O Servidor do Povo", lidera às sondagens à boca das urnas na primeira volta das eleições presidenciais, realizada, este domingo, na Ucrânia

Volodymyr Zelenskiy, comediante ucraniano, de 41 anos, lidera a corrida para ser o próximo presidente da Ucrânia. Segundo das sondagens à boca das urnas, relativas à primeira volta das presidenciais, que decorreu este domingo, este candidato conta com 30,1% dos votos. O atual chefe do Estado ucraniano, Petro Poroshenko, de 53 anos, recolhe 18,5% e a antiga primeira-ministra, Iulia Timochenko, de 58 anos, 14%, segundo a sondagem realizada pela empresa TSN e citadas pelo canal de televisão ucraniano 1+1.

A serem confirmados pelos resultados oficiais, estes dados indicam que a segunda volta, prevista para 21 de abril, será disputada entre Zelenskiy e Poroshenko. Timochenko, que assim sendo foi derrotada na sua terceira tentativa de chegar à presidência, já contestou estas sondagens à boca das urnas e denunciou a existência de fraude eleitoral. "A nossa equipa encontra-se em segundo lugar, com 20,9%" dos votos, disse a mulher que usa a trança enrolada como imagem de marca, sustentando que as sondagens que lhe dão o terceiro lugar "são suspeitas e manipuladoras".

"Uma nova vida vai começar, uma vida normal, sem corrupção, sem subornos, uma vida num país novo, um país de sonho", declarou hoje Zelenskiy, aos jornalistas, depois de ter ido votar. As urnas encerraram às 18.00, ou seja, 16.00 em Lisboa.

Poroshenko, por seu lado, disse, numa conferência de imprensa, em Kiev, depois de conhecido o seu segundo lugar, que não sentia "qualquer tipo de euforia" e que entendeu "o sinal que a sociedade mostrou hoje ao governo".

Cansados de guerra no Leste, tensão com a Rússia, corrupção nas elites políticas, desiludidos com as revoluções de 2004 e 2014, em risco de ver o país perder a assistência financeira do Fundo Monetário Internacional, os ucranianos parece terem visto uma solução em Zelenskiy, o homem que na televisão é o protagonista do programa de humor "O Servidor do Povo". Nesse já é presidente da Ucrânia. Se chegar a vencer, de facto, aquilo que há muito existe na ficção passará em breve a fazer parte da realidade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG