Trump deu explicações a Merkel, Macron, May e Trudeau

Presidente norte-americano fez telefonemas para justificar decisão de abandonar Acordo de Paris sobre o clima

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, falou na quinta-feira com quatro dos seus homólogos para "lhes explicar pessoalmente" a decisão de abandonar o Acordo de Paris sobre as alterações climáticas, informou a Casa Branca.

Trump conversou ao telefone com a chanceler alemã, Angela Merkel, com o Presidente francês, Emmanuel Macron, com a primeira-ministra britânica, Theresa May, e com o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau.

O Presidente agradeceu aos quatro líderes por "manterem discussões francas sobre este tema durante os seus primeiros meses no cargo". "Também assegurou aos líderes que os Estados Unidos continuam comprometidos com a aliança transatlântica e com os firmes esforços para proteger o ambiente", explicou a Casa Branca em comunicado.

Trump recordou o historial dos Estados Unidos "na redução de emissões e a sua liderança no desenvolvimento de tecnologia [para gerar] energia limpa" e reiterou que, sob a liderança do seu Governo, o país "será o mais limpo e respeitoso para com o meio ambiente da Terra".

"Todos os líderes acordaram continuar com o diálogo e fortalecer a cooperação em temas ambientais e de outra índole no futuro", indicou a Casa Branca.

Trump anunciou na quinta-feira a retirada do país do Acordo de Paris, argumentando que o pacto põe em "permanente desvantagem" a economia e os trabalhadores norte-americanos.

Com esta decisão, os Estados Unidos "cessarão todas as implementações" dos seus compromissos climáticos fixados em Paris, que incluem a meta proposta pelo ex-presidente Barack Obama de reduzir até 2025 as emissões de gases de efeito de estufa entre 26% e 28% em relação aos níveis de 2005.

Concluído em 12 de dezembro de 2015 na capital francesa, assinado por 195 países e já ratificado por 147, o acordo entrou formalmente em vigor em 04 de novembro de 2016, e visa limitar a subida da temperatura mundial reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa.

Portugal ratificou o acordo de Paris em 30 de setembro de 2016, tornando-se o quinto país da União Europeia a fazê-lo e o 61.º do mundo.

O acordo histórico teve como "arquitetos" centrais os Estados Unidos, então sob a presidência de Barack Obama, e a China, e a questão dividiu a recente cimeira do G7 na Sicília, com todos os líderes a reafirmarem o seu compromisso em relação ao acordo, com a exceção de Donald Trump.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG