Cidade de Liège presta homenagem a vítimas de ataque terrorista

Na terça-feira, um homem disparou mortalmente contra duas agentes da polícia e um civil. As autoridades estão a tratar do caso como um ato terrorista

A cidade de Liège homenageou as três vítimas mortais do ataque de terça-feira que as autoridades estão a tratar como um ato terrorista.

Esta manhã, fez-se um minuto de silêncio em memória das duas agentes da polícia e um civil mortos por Benjamin Herman, o autor dos disparos que, posteriormente, foi abatido pela polícia.

Na homenagem, esteve o primeiro-ministro da Bélgica Charles Michel, acompanhado pelo presidente da câmara de Liège, Willy Demeyer.

A população também se juntou ao minuto de silêncio, com algumas pessoas a colocar flores nos locais onde as agentes Soraya Belkacemi e Lucille Garcia e o jovem de 22 anos morreram.

O Ministério Público federal belga classificou os ataques de terça-feira em Liège como "assassínios terroristas", e indicou que a investigação agora está centrada em determinar se o agressor atuou sozinho.

Em conferência de imprensa, o procurador Wenke Roggen confirmou que o autor dos disparos, identificado como Benjamin Herman, gritou por diversas vezes a frase em árabe "Allahu akbar" ("Alá é grande") durante o tiroteio, antes de ser abatido, um dos factos que aponta para um ataque terrorista.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.