Chuvas e deslizamentos de terras fazem 24 mortos no Quénia

Várias pessoas, animais e casas foram arrastadas pelo lamaçal, depois de três dias de chuva intensa. O Quénia é um dos países mais afetados pelas alterações climatéricas.

Pelo menos 24 pessoas morreram na sexta-feira à noite por vários deslizamentos de terra no condado de West Pokot, no noroeste do Quénia, depois de três dias de chuva intensa, anunciaram as autoridades.

Animais, pessoas e casas inteiras foram arrastadas pelo lamaçal nas aldeias de Nyarkulian e Parua, onde já se recuperaram 12 cadáveres, segundo os meios de comunicação local citados pela agência de notícias espanhola Efe.

O número de mortos e desaparecidos pode aumentar nas próximas horas, alertaram as autoridades, que continuam as operações de busca e salvamento.

Nos últimos dois meses, o norte do Quénia enfrentou constantes chuvas torrenciais, deslizamentos de terra e inundações, que já causaram a morte a 48 pessoas e afetaram quase 150 mil, disse no dia 7 deste mês o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários.

Entre os 10 países mais afetados pelas alterações climatéricas, sete são africanos, entre os quais está o Quénia, para além da Serra Leao, Sudão do Sul, Nigéria, Chade, Etiópia, República Centro-Africana e a Eritreia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG