Chefe da máfia acusado de morder e engolir dedo de guarda prisional

Guiseppe Fanara reagiu com violência a uma inspeção à sua cela na prisão de Rebibbia, em Roma

Guiseppe Fanara, antigo chefe da máfia siciliana, que se encontra preso a cumprir sentença de pena perpétua, foi protagonista de um incidente violento na cadeia romana de Rebibbia. O homem, de 60 anos, reagiu mal a uma inspeção feita à sua cela e atacou com violência sete guardas prisionais.

"Durante a altercação, Fanara mordeu um dedo da mão direita de um guarda, antes de atacar outros seis guardas, usando um cabo de vassoura como arma e gritando que lhes ia 'cortar a garganta como porcos'", conta o jornal italiano Il Messaggero.

"Como o dedo desapareceu, um procurador de Roma concluiu que o mesmo foi comido", acrescenta o jornal. O incidente teve lugar em junho passado. Fanara foi, entretanto, transferido para a prisão de alta segurança de Sassari, na Sardenha, e enfrenta agora novas acusações de agressão agravada e resistência às autoridades.

Fanara está a cumprir o nono ano de prisão ao abrigo de um regime mais duro, reservado a líderes da máfia, que implica o seu isolamento para os impedir de continuar a gerir a organização criminosa a partir da prisão.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG