Chef da Cimeira do Clima condenado por infrações ambientais

Marc Veyrat terá de pagar uma multa de 100 mil euros por ter cometido infrações contra o meio ambiente e as florestas na construção do seu restaurante

O famoso chef francês Marc Veyrat, responsável pelas refeições durante a Cimeira do Clima em Paris, foi condenado esta sexta-feira a pagar uma multa de 100 mil euros por infrações ambientais. O cozinheiro terá violado o Código do Meio Ambiente e o Código Florestal no local onde construiu o seu restaurante Maison des Bois, em Manigod, França.

O cozinheiro da COP 21, onde estavam em discussão acordos para minimizar os efeitos do aquecimento global, foi acusado de ter desmatado 7 mil metros quadrados de matas e florestas sem permissão e de ter violado zonas húmidas naturais numa área de mais de 10 mil metros quadrados, ou seja, a área equivalente a um estádio de futebol, segundo o jornal francês Le Parisien. Tudo para construir o restaurante Maison des Bois.

Na sua conta do Twitter, numa fotografia ao lado do presidente francês François Hollande, o cozinheiro expressou o orgulho por estar ao serviço da Cimeira do Clima. "A gastronomia tem orgulho de ser francesa e universal", lê-se na publicação do cozinheiro.

O Tribunal Penal ordenou que a área seja restaurada. Marc Veyrat tem um prazo de três meses para restaurar o solo e terá de pagar uma multa de 3.000 euros por cada dia que ultrapasse o prazo. O advogado declarou que a pena foi tão "pesada" devido à "personalidade e reputação do Sr. Veyrat". A acusação tinha pedido inicialmente uma pena de quatro a seis meses de prisão suspensa para além da multa de 100 mil euros.

Durante a audiência, Marc Veyrat mostrou-se muito "triste por tudo o que aconteceu". "Eu não estou acima da lei. Todos cometem erros, até eu", sublinhou o chef. Marc Veyrat reconheceu que foram "erros graves" mas assegurou que os fez de "boa-fé".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG